Imposto de Renda: hora de acertar as contas com o leão

O Carnaval chegou ao fim e o primeiro compromisso que marca o início do ano é acertar as contas com o Leão! Esse ano o prazo de entrega da declaração está menor: de 7 de março a 30 de abril.

Para não correr o risco de cometer erros e atropelos e acabar caindo na malha fina é importante organizar-se e iniciar o processo com antecedência. Por isso, separei algumas dicas e espero ajudá-la na hora de acertar as contas com o Leão.

Organizando os documentos com antecedência

Separar os documentos necessários antecipadamente ajuda a evitar problemas e erros no preenchimento. Utilizar um ckecklist é uma excelente opção para começar de forma descomplicada. Para facilitar esse processo sem dor de cabeça, segue um checklist básico, mas bastante eficiente.

  • Informes de rendimentos: os rendimentos são à base do Imposto de Renda. Nos informes, as fontes pagadoras – como empregadores, bancos, corretoras e Previdência Social – reúnem todas as informações de pagamentos feitos a você ao longo do ano, destacando os impostos retidos na fonte.

  • Comprovante de aquisição ou venda de bens: a compra ou venda de bens e direitos, como imóveis, veículos e afins, também precisa ser declarada. É importante sempre ter em mãos todos os comprovantes e recibos. O Leão conhece a sua movimentação bancária, portanto qualquer valor recebido diferente do declarado poderá sim cair nas garras dele.

  • Comprovantes de despesas dedutíveis: para aproveitar abatimentos com saúde e educação, por exemplo, também é importante reunir a documentação que comprove os gastos, sempre consciente dos limites.

  • Outros documentos: recibos de doações feitas ou recebidas, comprovantes de aluguéis, carnês de contribuições feitas ao INSS de empregados domésticos, comprovantes referentes à compra e venda de ações, empréstimos e financiamentos, pensão alimentícia, herança recebida, tudo isso também deve ser reunido com antecedência.

Informe-se sobre as mudanças na declaração de IRPF

Desta vez, a Receita Federal caprichou nas mudanças na hora de declarar o Imposto de Renda. Por exemplo, a partir de agora, será exigido preencher o CPF de todos os dependentes incluídos na declaração, independente da idade – sim, até mesmo menores de 8 anos. Além disso, quem apresentar inconsistências já será informado se caiu na malha fina em 24 horas depois da inclusão dos dados. Confira aqui outras mudanças.

Quem é obrigado a declarar?


Nessa Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda, estão obrigados a declarar as pessoas físicas residentes no Brasil que, no ano-calendário de 2018, receberam rendimentos tributáveis, sujeitos ao ajuste anual na declaração, cuja soma foi superior a R$ 28.559,70. Ou obteve rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, superior a R$ 40.000,00. Alienou/vendeu bens ou direitos com ganho de capital, realizou operações em bolsa de valores ou assemelhados. Teve posse ou propriedade de bens ou direitos com valor total superior a R$ 300.000,00. Obteve receita bruta, na atividade rural, acima de R$ 142.798,50.

Faça o preenchimento da declaração de imposto de renda com calma

Preencher a declaração exige muita atenção. É necessário conferir todos os números, valores e informações. Por isso, é fundamental ler as instruções antes de começar e tirar um tempo para fazê-lo com calma. Quando terminar a declaração, não transmite na hora. Aguarde umas horinhas, se for preciso até um dia, leia e releia, confira todos os valore declarados e só então, quando tiver certeza envie a sua declaração.

Se necessário, busque ajuda profissional

Para evitar erros, é fundamental certificar-se de que está seguindo o caminho correto na declaração. Se achar necessário, pode ser interessante buscar ajuda de um profissional de sua confiança

© 2019 by Claudia Rozembrá​. Produção criativa with Wix.com